domingo, 25 de junho de 2017

Fariseus e saduceus


AS SEITAS JUDAICAS
1- Os fariseus
a- Seus antecedentes eram os reformadores dos tempos de Esdras e Neemias.
b- Quando Matatias revoltou-se contra os esforços de Antioco, os Hasidim “os
piedosos” o apoiaram e se ligaram a ele.
c- Mais tarde os Hasidim foram denominados perushim “os separados”.
2-Os Saduceus
a- O nome possivelmente vem de Zadoque , o sumo sacerdote dos tempos de Davi
( 2 Sam.8:17, 15:24 )
b- Eles aparecem na história na mesma época que os fariseus.
c- Enquanto os fariseus eram nacionalistas, a tendência dos saduceus era na
direção da filosofia grega com a cultura grega.
d- Sendo eles um partido político de tendências sacerdotais e aristocráticas, tinham
pouca influência com o povo comum.
3- Uma comparação entre Fariseus e Saduceus :
Fariseus:
a- Constituíram o núcleo da aristocracia religiosa e acadêmica.
b- Ensinavam que a alma era imortal, que havia uma ressurreição corporal e
julgamento futuro com galardão ou castigo.
c- Acreditavam na existência de anjos e espíritos bons e maus.
d- Predestinatários, mas aceitaram que o homem tinha livre arbítrio e responsável
moralmente.
e- Coordenaram a tradição e a Lei escrita numa massa de regras de fé e a prática
evoluindo com os tempos.
Saduceus
a- Constituíram o núcleo da aristocracia sacerdotal, política e social.
b- Ensinaram que não há nem galardão nem castigo.
c- Negaram a existência de espíritos e anjos.
d- Enfatizaram a liberdade da vontade humana, rejeitando o determinismo e o azar.
e- Mantinham que a Torah era única fonte infalível de fé e prática.
5- Os Essenios
a- Não mencionados no N.T. mas Filo disse que havia 4.000 ou mais.
b- Eram uma seita ascética com sede na beira ocidental do mar morto.
c- Pensa-se que houve muitos deles nas vilas e cidades da Palestina.
d- Seguiram, o conceito de comunidade de bens, abstinência , meditação, trabalho
zeloso e o celibato.
6- Os Herodianos
a- Eram partido político não religioso .
b- Esperaram que Herodes cumprisse a realização da esperança da nação.
7- Os Zelotes
a- Legalistas , pietistas, messianistas nacionalistas, intolerantes dos judeus
impiedosos e de Israel na subjugação aos romanos.

A ESPERANÇA MESSIÂNICA DOS JUDEUS
1- O surgimento no período interbíblico
a- Na época da restauração - Com o desaparecimento dos profetas houve pouca
ênfase na esperança messiânica. O interesse do povo era a observação da lei (
Ne. 8: 1-3 , 9:13- 16 ).
2- Na época dos macabeus
a- A perseguição intensa inspirou a esperança dum líder super- humano.
b- Especialmente após a tomada de Jerusalém pelos romanos em 63 a.. C. ,
encontramos o ressurgimento da esperança messiânica
3- Na época do nascimento de Cristo
a- É fato conhecido que quando Cristo veio houve uma larga expectativa da vinda
do Messias , especialmente com a morte de Herodes, o Grande.
b- Mesmo pensadores gentios como Tácito e Suetonio manifestam esta esperança
de alguém surgir dentre os judeus.
4- A idéia básica
a- Geralmente os judeus buscavam que os resgatasse um Rei que levantaria um
reino eterno e julgaria os maus. Esperavam a salvação de Israel, não dos gentios.
c- Esperavam alguém mais do que mero homem denominando-o de “O santo e
Poderoso” , “Messias “, etc. Pode ser que pensavam nele com um anjo poderoso
que viesse agir sobrenaturalmente.
5- Uma opinião de minoria
a- Alguns poucos judeus esperavam um messias sofredor.
b- Eram homens espirituais que procuravam nas Escrituras a verdade.
c- Nota-se homens como Simeão, Natanael, João Batista e Ana..

O ADVENTO DE CRISTO
1- Neste período de silêncio, o mundo foi preparado para a vinda de Cristo através de
vários povos. O apóstolo Paulo escreveu em Gl. 4:4 “Mas vindo a plenitude dos
tempos , Deus enviou seu filho”. Marcos afirmou o mesmo, dizendo : “O tempo
está cumprido e o reino de Deus está próximo” Mc. 1:15. É interessante notar a
preparação do mundo para a primeira vinda de Cristo e as contribuições dos três
grande povos daquela época. Verdadeiramente, Cristo veio na plenitude dos
tempos.
2- Elementos na preparação para a vinda de Cristo: Judaicos
a- Um povo divinamente preparado
b- Um povo escolhido para ser testemunha entre as nações
c- Escrituras proféticas predizendo a vinda do Messias
d- A dispersão dos judeus em todo o mundo conhecido
e- Sinagoga onde se estudava as Escrituras que forneceriam local para a pregação
do evangelho
f- Proselitismo que trouxe muitos gentios para o judaísmo
g- Era o povo do Livro, Interessado na prática da religião e na busca da salvação
h- Uma esperança da vinda do Messias foi oferecida pelos judeus a um mundo de
religiões pagãs. Também o judaísmo ofereceu , pela parte moral da Lei Judaica,
o sistema de ética mais puro do mundo. Mas o mais importante é que os judeus
prepararam o caminho para vinda de Cristo pelo fornecimento de um Livro
Sagrado, o Velho Testamento.
3- Elementos Gregos :
a- A filosofia grega que se aproximava do monoteísmo, tendência para a
imortalidade, ênfase sobre a consciência e dignidade humana e liberalismo de
pensamento.
b- A língua grega, tradução do A . Testamento, para a pregação do evangelho e a
escrita do N.T. junto com os termos adotados por Paulo e outro pregadores do
Novo Testamento para explicar o evangelho. No primeiro século os romanos
cultos conheciam grego e também latim. O dialeto grego usado no quinto
século a. C. , na época da glória de Atenas, tornou-se o dialeto
“Koiné” ( comum ) do primeiro século . O dialeto da literatura clássica de
Atenas foi modificado e enriquecido pelas mudanças que sofreu nas conquistas
de Alexandre Magno no período entre 338 e 146 a .C. . O NT. Foi escrito nesse
dialeto vulgar ( comum ).
c- A cultura helenística em geral com seu espírito cosmopolita, transcendendo as
barreiras, o judeu helenizado que serviria como ponte entre o judeu e gentio e a
busca da salvação do mundo romano.
d- Por um lado a filosofia grega deu uma contribuição positiva, mostrando o melhor
que o homem pode fazer na busca de Deus pelo intelecto, por outro contribuiu
negativamente, pois, nunca deu uma satisfação aos corações e nunca conduziu o
homem a um Deus pessoal.
4- Elementos romanos – Contribuição política :
a- Cristo veio ao mundo época do Império Romano. Todo o mundo ficou sob um
governo único, uma lei universal, era possível obter cidadania romana, ainda que
a pessoa não fosse romana. O império Romano mostrou as tendência de unificar
os povos de raças diferentes numa organização política.
b- Havia paz na terra quando Cristo nasceu . Os soldados romanos asseguravam a
paz nas estradas da Ásia, África e Europa.
c- Construíram excelentes estradas ligando Roma a todas as partes do Império. As
estradas principais foram construídas de concreto. As estradas romanas e as
cidades estratégicas localizadas nos caminhos eram indispensáveis a
evangelização do mundo no primeiro século.
5- Resumo dos elementos :
Na plenitude dos tempos, quando a maior parte do mundo ficou sob uma lei e um
governo, e todo o mundo falou a mesma língua diariamente, Cristo veio, cumprindo as
profecias e especialmente Jerusalém, localizava-se onde as estradas atravessavam
ligando os continentes da Ásia e África com Europa..

OS EVANGELHOS
Introdução: Os três primeiros evangelhos foram pela primeira vez chamados
“evangelhos sinóticos” por J.J. Griesbach, um estudioso da Bíblia de nacionalidade
alemã, no final do século XVIII. O adjetivo “sinótico” vem do grego (synopsis ) , que
significa “ver em conjunto”. Griesbach escolheu a palavra devido ao alto grau de
semelhanças entre Mateus, Marcos e Lucas em suas apresentações do ministério de
Jesus.
Essas semelhanças, que envolvem estrutura, conteúdo e enfoque , são visíveis
mesmo ao leitor desatento. Elas servem não apenas para unir os três primeiros
evangelhos , mas também para separa-los do evangelho de João, que tem um propósito
especial e apresenta material que não se encontra nos demais evangelhos.

Mateus, Marcos e Lucas estruturam o ministério de Jesus de acordo com uma seqüência
geográfica geral: ministério da Galiléia, retirada para o norte ( tendo por clímax e ponto
de transição de Pedro ), ministério na Judéia e Peréia quando Jesus se dirigia para
Jerusalém ( algo não tão claro em Lucas ) e o ministério final em Jerusalém. Essa
seqüência está praticamente ausente em João, evangelho que se concentra no
ministério de Jesus em Jerusalém durante as visitas que periodicamente fazia a cidade

.Quanto ao conteúdo , os três primeiros evangelistas narram muitos dos mesmos
acontecimentos, concentrando-se nas curas, exorcismos e ensinos por meio de
parábolas realizados por Jesus. João , embora narre algumas curas significativas, não
traz qualquer relato de exorcismo nem parábolas ( pelo menos das do tipo encontrado
em Mateus, Marcos e Lucas ). Além disso, muitos dos acontecimentos que
consideramos característicos dos três primeiros evangelhos estão ausentes em João :

O envio dos Doze, a transfiguração, o sermão profético, a narrativa da última ceia. Ao
apresentarem Jesus constantemente em atividade e ao sobreporem ações -
especialmente milagres – e ensinos ( geralmente ) curtos, os primeiros três evangelistas
criam um clima de ação intensa e ininterrupta. Isso contrasta claramente com o clima
mais contemplativo de João, que narra bem menos acontecimentos do que evangelistas
Sinópticos e prefere apresentar Jesus fazendo longas dissertações em vez de
parábolas curtas ou declarações breves e expressivas.

A evolução dos Evangelhos Sinópticos : Como os evangelhos Sinópticos foram
escritos? Como os autores obtiveram as informações que utilizaram sobre Jesus ?
Porque os três relatos são parecidos em tantos lugares e tão diferentes em outros ? Qual
foi o papel dos próprios evangelistas – registrar a tradição ? Autores com um ponto
de vista próprio? E, para trazer a tona a questão maior que se oculta por trás de todas
as demais – por que quatro evangelhos ?

Tais perguntas e outras semelhantes tem sido a preocupação de cristãos zelosos desde
o inicio da igreja. Um cristão do século II, Taciano, combinou os quatro evangelhos
em seu Diatessaron, Agostinho escreveu um tratado intitulado A Harmonia do
Evangelhos. Os estudiosos, no entanto , tem se debruçado mais profundamente sobre
essas questões desde o surgimento da crítica bíblica modernas em fins do século

PERÍODO INTERBÍBLICO - Alexandre o Grande

PERÍODO INTERBÍBLICO

DEFINIÇÃO :
Trata do período de eventos que ocorreram entre o fim do A . T. e o início do N.
T.
As datas são de 424 a . C. até 5 a. C.
POR QUE ESTUDAR ?
a- As históricas razões – explicam o fundo histórico do N. T.
b- Culturais - explica a origem e desenvolvimento dos costumes , instituições e vida
espiritual do povo judaico do período do N. Testamento.
c- Messiânico - demonstra como Deus preparou o mundo para o Advento .
AS DIVISÕES DO PERÍODO INTERBIBLICO
Entre as datas marcadas para nosso estudo muitos eventos passaram que não teremos
oportunidade de reconhecer . Nós daremos atenção especial ao fim do A .T., os
tempos de Alexandre, as guerras dos macabeus e Herodes.
São eles: Período persa
Período grego
Período grego egípcio
Período grego sírio
Período macabeu
Período romano

a- Os cativeiros
1- Depois de um longo período de apostasia , o Reino do Norte foi conquistado e
levado para o cativeiro pelos assírios em 721 a . C.
2- O Reino do Sul recebeu tratamento semelhante ás mãos dos babilônios sob
Nabucodonozor em 586 a . C.
b- As restaurações :
1- Cerca de 50.000 exílios cerca do ano 536 foram permitidos por Ciro voltar a
Palestina com Zorobabel ( Esdras 1:6 )
2- Os eventos do livro de Ester passaram na Pérsia cerca do ano 483
3- Esdras , um escriba , chegou em Jerusalém cerca do ano 457, promoveu várias
reformas civis e religiosas ( Esdras 7: 10 ) .
4- Neemias e seus companheiros chegaram na Palestina cerca de 445 a. C.
5- Malaquias dirigiu seus ministério num período de decadência espiritual cerca
de 432-424 , ele marcou o fim do A . T.
O PERÍODO PÉRSICO - Ao encerrar-se o A.T. lá pelo ano 430 a . C. , a Judéia era
uma província da Pérsia . Esta havia sido potência mundial por uns 100 anos.
Continuou a sê-la por outros 100 anos, durante os quais não se conhece muito acerca
da história judaica. O domínio pérsico , na sua maior parte , foi brando e tolerante,
gozando os judeus de considerável liberdade.
Os reis persas desse período foram:
Artaxerxes I, 464 – 423. Sob seu governo , Neemias reconstruiu Jerusalém.
Xerxes II , 423 a . C. Dario II, 423- 404 a . C. Artaxerxes II ( Mnemom ), 404 – 359 a.
C. Dario III ( Codomano ), 335-331 a . C. Sob o governo deste o império pérsico caiu.
CARACTERÍSTICAS DO PERÍODO PERSA
1- Decadência espiritual vista em Ageu e Malaquias.
2- Desenvolvimento do poder do sumo sacerdote
Após Neemias , Judéia foi incluída na província da Síria . Assim o Sumo
Sacerdote se tornou governador da Judéia e autoridade da Síria.
3- Os inícios do escribismo com um interesse exagerado na Letra da Lei.
O PERÍODO GREGO - A história do Antigo Testamento se encerrou com o
cativeiro que a Assíria impôs ao reino do norte, Israel , com o subsequente cativeiro
babilônico do reino do sul, Judá , e com o regresso , a Palestina , de parte dos
exilados, quando da hegemonia persa nos séculos VI e V .C. Os quatro séculos entre
o final da história do Novo Testamento compreendem o período intertestamentário. (
ocasionalmente chamados “os quatrocentos anos de silêncio”, devido ao hiato, nos
registros bíblicos , e ao silenciamento da voz profética ). Durante esse hiato é que
Alexandre o Grande se tornou senhor do antigo Oriente Médio, ao infligir sucessivas
derrotas aos persas

OS TEMPOS E SIGNIFICÂNCIA DE ALEXANDRE , O GRANDE
a- A origem de Alexandre
1- Felipe de Macedom uniu os estados gregos para expulsar os persas da Ásia
Menor. Morreu assassinado durante uma festa . ( 337 a . C.)
2- Alexandre seu filho, de grande capacidade de liderança, educado sob o famoso
Aristóteles , era devotado a cultura grega. Tirou sua inspiração da ilíada de
Homero.
b- As conquistas de Alexandre
1- Após o domínio da Grécia penetrou a Pérsia , império 50 vezes maior , com
população 20 vezes a da Grécia.
2- Em 334, penetrou na Ásia Menor vencendo o exército persa no Rio Grânico,
perto de Troade.
3- Em pouco tempo com apenas a idade de 22 anos, conquistou a Sardo, Mileto,
Éfeso e Halicarnaso, estabelecendo em cada cidade a democracia grega.
4- Em 333 a .C. foi ao encontro de Dario na Batalha de Isso, a qual ganhou.
5- Daí foi sem grande resistência até o Egito que também o dominou.
6- Em 332 cercou a Tiro, que tomou antes de descer ao Egito.
7- Venceu Dario decisivamente na batalha de Arbela em 331 a .C. dando fim ao
grande império Persa.
8- Continuou suas conquistas até o rio Indo.
9- Morreu com apenas 33 anos com suas forças dissipadas pelo álcool e malária. No
ano 323 morreu com a bebida ( vinho )
10- Fundou 70 cidades, moldando-as conforme o estilo grego. Ele e os seus
soldados contrairam matrimônio com mulheres orientais . E assim foram misturadas
as culturas grega e oriental.
11- Antes do falecimento de Alexandre, ( 323 a .C. ) seus principais generais
dividiram o império em quatro porções , duas das quais são importante no pano-defundo
do desenvolvimento histórico do Novo Testamento, a porção do Ptolomeus e a
dos Selêucidas. O império dos Ptolomeus centralizava-se no Egito, tendo Alexandria
por capital. A dinastia governante naquela fatia do império veio a ser conhecida
como os Ptolomeus . Cleópatra , que morreu no ano 30 a .C. foi o último membro da
dinastias dos Ptolomeus. O império selêucida tinha por centro a centro a Síria, e
Antioquia era a sua capital . Alguns dentre a casa ali reinante receberam o apelido de
Seleuco, mas diversos outros forma chamados Antioco. Quando Pompeu tornou a
Síria em província romana, em 64 a .C. chegou ao fim o império selêucida .
12- A Palestina tornou-se vítima das rivalidades entre os Ptolomeus e os
Selêucidas. A princípio os Ptolomeus dominaram a Palestina por cento e vinte dois
anos ( 320-198 a .C.) O judeus gozaram de boas condições durante este período. De
acordo com um antiga tradição, foi sob Ptolomeu Filadelfo ( 285-246 a .C ) que setenta
e dois eruditos judeus começaram a tradução do Antigo Testamento hebraico para o
grego, versão essa que se chamou Septuaginta
c- A influência de Alexandre :
1- Sua influência foi muito grande por causa de sua extensão e permanência.
2- Estabeleceu centro de comércio e cultura em toda a extensão do seu império.
3- Com a penetração da cultura grega, a superstição oriental cedeu a liberdade do
pensamento grego na filosofia, arquitetura , deuses , e religião e atletismo
(primeira olímpiada , 776 a .C.) Surgiram bibliotecas e universidades em
Alexandria e Tarso como em outros lugares.Preparou-se assim o campo para
religião universal.
4- De grande importância foi a disseminação da língua grega, criando a
possibilidade de pregação do evangelho duma língua universal e a criação
duma Bíblia legível em toda a extensão da bacia do Mediterrâneo.
$17Ì2&2 (3,)Ç1,2 ( $ 5(92/7$ 0$&$%e,$
A - Eventos relacionados com Alexandre e com Antíoco :
1- Após a morte de Alexandre , começou a luta para o controle do império.
2- Em 301 a.. C. na batalha de Ipso a divisão efetuou-se em quatro partes .
3- Egito e Palestina ficaram com Ptolomeu Soter ( lagos ) e a Síria do Norte e
Ásia Menor com Seleuco.
4- Os Ptolomeus dominaram a Palestina até 198 quando os sírios com Seleuco
anexaram a Terra Santa ao seu domínio.
5- Antíoco , o Grande ( III ) que conquistou a Palestina morreu , foi seguido pelo
seu filho Seleuco Filopater ( 187 – 175 ) que foi envenenado abrindo caminho
para a sucessão de seu irmão Antíoco Epifânio ( IV ).
OS ATOS DE ANTÍOCO EPIFÂNIO ( 175 – 164 )
1- Epifânio ( nome que deu a si mesmo ) significa “deus manifesto”
2- O sumo sacerdote , Onias III, liderou os nacionalistas, Jasom, seu irmão
dirigiu os helenistas.
Jasom ofereceu grande soma de dinheiro a Antíoco por ser apontado sumo
sacerdote no lugar do seu irmão. Prometeu também helenizar a Jerusalém.
Quando assim foi apontado, tornou o povo cidadãos da capital da Síria, Antioquia
, erigiu um ginásio grego logo em baixo o templo, os jovens judeus começaram
tomar parte nos jogos gregos. Jasom criou um altar , até mandou ofertas as festas
de Hércules em Tiro.
Os nacionalistas são os antecedentes dos Fariseus, helenistas dos saduceus.
3- Antíoco fez várias expedições para o Egito. Numa delas ouve rumores de sua
morte que provocou grande regozijo entre os judeus. Ao ouvir isto, Antíoco
massacrou 40.000 judeus num só dia. Muitos judeus foram escravizados e o
templo roubado.
4- Numa campanha seguinte, os romanos forçaram sua desistência no Egito. Na
sua grande ira derramou-a sobre Jerusalém. No Sábado matou muitos,
escravizou outros, destruiu partes da cidade. Mandou erradicar a religião
judaica. Quem possuia cópia da lei ou tivesse circuncidado a criança seria
morto. Finalmente converteu o templo em templo de Zeus, profanou o
Templo , em cujo altar , ofereceu uma porca em sacrifício, destruiu cópias das
Escrituras , vendeu milhares de judias para o cativeiro, e recorreu a toda espécie
imaginável de tortura para forçar os judeus a renunciar sua religião. Isso deu
ocasião a revolta dos Macabeus, umas das mais heróicas façanhas da história.

A REVOLTA DOS MACABEUS ( 167 – 63 a.C )
1- A revolta começou com Matatias, sacerdote em Modim ( 167 ) . Período de
Independência, também chamado de Hasmoneano. Matatias, era sacerdote patriota
e de imensa coragem, furioso com a tentativa de Antioco Epifânio de destruir os
judeus e sua religião, reuniu um bando de leais compatriotas e defraudou a bandeira
da revolta. Essa revolta teve inicio quando Matatias , sendo obrigado por um
agente de Antioco para oferecer um sacrifício pagão, este recusou matando-o, e
fugiu na companhia dos cinco filhos, para uma Região Montanhosa. Seus filhos
eram: Judas, Jônatas, Simão , João e Eleazar. Essa familia era chamada de
Hasmoneanos, por causa de Hasmom , bisavô de Matatias, ou de Macabeus,
devido ao apelido Macabeu ( Martelo ) conferido a Judas, um dos filhos de
Matatias.
2- Judas Macabeu encabeçou uma campanha de guerrilhas de extraordinário sucesso,
até que os judeus se viram capazes de derrotar os sírios em campo de batalha
regular. A revolta dos Macabeus, entretanto , foi também uma guerra civil
deflagrada entre os judeus pró-helenistas e anti – helenistas .
3- Judas entrou em Jerusalém e reedificou o templo , os judeus recuperaram a
liberdade religiosa, foi esta a origem da Festa da Dedicação ( João 10:22) , entre
165 e 164 a. C.
4- Significância da opressão síria e revolta dos macabeus:
a- Restaurou a nação da decadência política e religiosa.
b- Criou um espiríto nacionalista, uniu a nação e suscitou virilidade.
c- Deu um novo impulso ao judaismo, novo zelo pela lei e esperança messiânica.
5- Intensificou o desenvolvimentos dos dois movimentos que se tornaram os Fariseus
e os Saduceus.
a- Os Fariseus surgiram do grupo purista e nacionalista.
b- Os Saduceus surgiram do grupo que se aliou com os helenistas.
6- Deu maior ímpeto ao movimento da dispersão com muitos judeus querendo se
ausentar durante as terríveis perseguições de Antioco.

PERÍODO ROMANO – ( 63 a.C.)
1- Eventos que relacionaram os dias dos macabeus com o tempo de Herodes :
a- Os irmãos de Judas, Jônatas e Simão sucessivamente lideraram o povo após a
morte de Judas
b- Os descendentes dos macabeus continuaram no poder até o ano 63 a.C. quando
os romanos tomaram o poder.
c- A junção do poder civil com sumo sacerdócio provocou uma decadência
espiritual. A luta pelo poder tirou a devoção a Jeová.
2- Antecedentes na vida de Herodes.
a- Antipater , um idumeu ( descendente de Edom , ou Esaú , conseguiu lugar de
destaque com os romanos.
b- Como procurador judeu , colocou seu filho Herodes como tetrarca de Galiléia.
c- Herodes mostrou grande zelo no seu governo, erradicando os bandidos que
tinham infiltrado a Galiléia.
d- Com a morte de Antipater ( 40 a . C.) conseguiu de Cesar ser apontado rei de
Judeia.
e- Com a invasão de Jerusalém e a morte de Antigono, ultimo descendente dos
macabeus, Herodes começou a reinar no ano 37 a . C.
3- Três períodos no reinado de Herodes
a- Os primeiros 12 anos ( 37-25 ) foram gastos na luta pelo poder .
b- Os segundos 12 anos ( 25 –13 ) foram seus melhores anos.
c- Os últimos 9 anos ( 13 –4 ) se caracterizaram pela crueldade e amargura (
assassinou a duas de suas esposas e pelo menos a três de seus próprios filhos.
Foi este Herodes que governava Judá quando Jesus nasceu, e que trucidou os
meninos de Belém.
d- Herodes morreu de hidropsia e câncer nos intestinos, em 4 a.C.
4- Os sucessos de Herodes
a- Uso de muito tato na sua tentativa de helenizar os judeus, que Antíoco Epifania.
b- Com espetáculos, jogos, etc, ganhou a lealdade dos jovens judeus que se
tornaram os herodianos.
c- Aumentou a fortaleza de Jerusalém denominada “Antonia”
d- Edificou a Cesaréia
e- Entre seus muitos projetos de edificação , sua maior contribuição para os judeus,
foi o embelezamento do templo de Jerusalém, Isso não expressava sua
participação na fé judaica ( ele não acreditava nela ) mas foi uma tentativa de
conciliar seus súditos. O templo de Jerusalém , decorado com mármore branco ,
ouro e pedras preciosas, tornou-se proverbial devido ao seu esplendor : Quem
Jamais viu o templo de Herodes nunca viu o belo”.
5- Herodes e a vinda de Cristo.
a- Ele foi parte do governo romano que preparou o contexto da vinda de Cristo.
b- Foi rei governante quando Cristo nasceu.

Fonte:Pra Maria Aparecida Dalcin Kullian 

Postagem em destaque

Cerimônia Fúnebre: Funeral

Todo Pastor, Presbítero ou Dirigente de congregação deve estar pronto para realizar um cerimonial fúnebre, ( funeral ), é uma oportunidade p...